Equipamento ficou submerso na costa de Orkney, na Escócia, para testar sua eficiência energética nas profundezas do oceano; dos 855 servidores que funcionavam, apenas oito apresentaram defeitos.

A Microsoft recuperou um data center que estava submerso há dois anos no fundo do oceano na costa de Orkney, na Escócia. O equipamento, desenvolvido para utilizar a baixa temperatura das águas profundas como sistema de refrigeração, foi removido para que sua eficiência energética pudesse ser testada.

A iniciativa faz parte do Projeto Natick, e tem testado pequenos clusters de computação em nuvem localizados embaixo d’água para saber se a ideia é economicamente viável.

Com isto, a Microsoft pretende aproveitar a tecnologia dos submarinos e trabalhar com pioneiros em energia marinha na segunda fase de seu plano para desenvolver data centers submarinos autossuficientes, que possam fornecer serviços de nuvem rápidos para as cidades costeiras.